sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Garla defende a valorização do esporte paralímpico nas escolas



O projeto "Esporte Paralímpico" na Escola foi criado para proporcionar aos alunos com necessidades especiais matriculados na rede pública de ensino do DF, a prática de esportes em uma ou várias das modalidades reconhecidas pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

O PL 856/12, que cria no âmbito da Rede Pública de Ensino do DF, o projeto Esporte Paralímpico na Escola, de autoria do parlamentar Evandro Garla foi aprovado nesta quinta-feira (18), no plenário da CLDF.

Para Garla, a finalidade desta proposição é lutar para que os atletas com necessidades especiais ou não, sejam valorizados. "O atleta paralímpico é acostumado a praticar vários esportes, como basquete em cadeira de rodas, atletismo, natação e outras modalidades. E o principal objetivo deste projeto é o restabelecimento da autoestima e, consequentemente a diminuição da depressão provocada pelo impacto da nova realidade que se apresenta para a pessoa portadora de necessidades especiais, nos casos da lesão adquirida, facilitando assim, a sua reintegração à sociedade", afirmou.


O parlamentar ressalta que o projeto "Esporte Paralímpico" visa incentivar a prática de atividades físicas por crianças e adolescentes com necessidades especiais nas escolas do DF, além de identificar e preparar futuros campeões.


Texto: Geysa Albuquerque
Fotos: Jessé Vieira

Garla quer homenagear o Distrito Federal





O DF é uma das 27 unidades federativas do Brasil e está localizado no Centro Oeste do país. É o único que não tem municípios, sendo dividido em 31 Regiões Administrativas. O atual Distrito Federal foi idealizado por um projeto do ex-presidente Juscelino Kubitschek, que na época estava de mudança da capital nacional da cidade do Rio de Janeiro para o centro do país.

Na tarde desta quinta-feira (18), o Projeto de lei 1880/14 que dispõe sobre a obrigatoriedade da execução do Hino do DF nas atividades que menciona e dá outras providências, de autoria do deputado Evandro Garla foi aprovado durante as votações na sessão ordinária da CLDF.

Garla explica que o hino do DF significa uma manifestação musical de importante valor histórico. " Ele foi criado para transmitir o sentimento de união do seu povo, demonstrar os propósitos e sonhos a serem alcançados como perspectivas de futuro. Desta forma, assim como o Hino Nacional é entoado nas mais variadas celebrações, a nossa Capital Federal, como unidade federativa diante de sua história, merece de igual forma, ter seu Hino entoado", ressalta.

Texto: Geysa Albuquerque
Fotos: Jessé Vieira

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

O sonho de morar em Brasília




Brasília tem o metro quadrado mais caro do Brasil, ficando atrás apenas do Rio de Janeiro e São Paulo. E os investimentos em casas, apartamentos e lojas da Capital Federal tem garantia de que o dinheiro  aplicado deve ser multiplicar a curto prazo.
 
 E as melhores opções de compra no DF são: Águas Claras, Ceilândia, Gama, Recanto das Emas, Samambaia, Santa Maria e Sobradinho, já que possuem preços razoáveis.
 
Segundo especialistas, ao procurar um imóvel o comprador exige bom preço, comodidade, segurança, espaço e qualidade. Por isso, as habitações das novas cidades têm mais vantagens.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Lutando contra a crise





O chefe da Comunicação do GDF, André Duda, tem feito de tudo para rebater as críticas que o atual governo sofre constantemente da mídia e da nova gestão que vem pela frente.

Em recente coletiva, Rollemberg  questionou o rombo nas contas públicas e ainda citou a saúde no DF. Duda prontamente ressaltou um ponto: "Ele criticou a saúde, mas esqueceu que, somente hoje, realizamos transplantes de rim e de coração na rede pública. Tudo está funcionando normalmente".

O atual secretário de Comunicação ainda alertou que ao assumir o Palácio do Buriti, o socialista deverá renovar os contratos para evitar a suspensão das atividades e reafirmou que o governo trabalha para que tudo esteja funcionando perfeitamente até o dia 1º de janeiro.


quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Envelhecer com saúde é o ideal




Os dados IBGE revelam que em 2050, a participação dos idosos na população brasileira será quase igual a dos jovens. As pessoas de 0 a 14 anos representarão 13,15% do contingente populacional, ao passo que o público idoso irá ultrapassar 22,71% do total.

O envelhecimento só  é positivo com saúde. No DF, esse cenário não é diferente. São 326 mil pessoas com idade acima de 60 anos - 12,8% da população e uma renda média de R$2,369,80.

A importância  dos nossos idosos é imensa. Por isso, para eles foi criada a Secretaria Especial do Idoso do DF. Lá são oferecidos cursos gratuitos, passeios, assistência jurídica e psicológica e outros serviços. Afinal, temos que cuidar dos nossos idosos: promover o bem -estar e a qualidade de vida de quem já trabalhou tanto por nós.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

A educação no Brasil é preocupante




A qualidade da educação no Brasil continua distante para a grande maioria dos brasileiros. A baixa qualidade de ensino compromete as possibilidades e os potenciais do Brasil, pois prejudica todos os setores produtivos. A qualificação da mão de obra é fundamental para que se consiga aumentar a produtividade e, como consequência, a competitividade dos produtos brasileiros.

Ao analisar a capacidade de se expressar minimamente por meio da modalidade escrita do português, bem como ler e compreender um texto, o Brasil é um país com significativo número de analfabetos funcionais.

De acordo com o Movimento Todos pela Educação, há aproximadamente 14 milhões de analfabetos absolutos e pouco mais de 35 milhões de analfabetos funcionais. O Censo de 2010 mostrou que uma entre quatro pessoas é analfabeta funcional, o que representa 20,3% da população. E mesmo entre os universitários, segundo o Instituto Paulo Montenegro e a ONG Ação Educativa, o analfabetismo funcional chega a 38%.


quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Professores merecem mais respeito e reconhecimento





Atualmente, a profissão de professor raramente recebe o reconhecimento pelo nobre papel que exerce diante das adversidades de toda ordem. Desde a antiguidade e há algumas décadas atrás, o mestre era considerado como uma pessoa de honra daquela época, ou seja, um transmissor de conhecimentos e o moldador da mente e caráter dos discípulos.

Recentemente no Brasil, o professor também era respeitado e contava com o apoio dos governantes. A gratidão dos pais e alunos também era considerável. Nos dias atuais, em um mundo onde a inversão de valores ocorre frequentemente o professor é agredido por alunos, questionado por pais e não amparado na medida necessária pelos governos. O resultado disso é desistência da carreira por parte da maioria dos estudantes e dos próprios profissionais.

Outro fator de desestímulo é a responsabilidade transferida pelas famílias, que talvez num distorcido entendimento atribuem ao professor a obrigação de transmitir aos alunos, valores pessoais e sociais, de noções de cidadania e até mesmo de questões de saúde.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Só vai saber depois da eleição



Governo adia divulgação  de resultados negativos. A população brasileira só saberá os dados de educação e economia depois das eleições. Segundo a Folha de São Paulo, os resultados são potencialmente negativos.

Na educação, o resultado de exame nacional realizado com 7 milhões de estudantes costuma sair até agosto. Nas demais áreas, as informações eram fornecidas com mais antecedência. Há sinais de que todos os indicadores mostrarão piora no cenário.

Segundo o jornal, as avaliações independentes publicadas apontam para um desempenho pouco animador. As instituições do governo responsáveis pelos dados citaram questões técnicas, administrativas ou legais a fim de justificar a postergação da divulgação das informações.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Um parlamentar preocupado com a higiene bucal no DF


O Conselho Regional de Odontologia começou a semana, de 20 a 24 de outubro a Semana de Saúde Bucal, em comemorando o dia do Cirurgião-Dentista.

Nesta segunda-feira, está sendo realizada uma grande Campanha Social voltada para a população com ações de orientação sobre a Prevenção de Saúde Bucal, distribuição de 20 mil Kits de Higiene Bucal e 60 mil Folders explicativos. Equipes de Cirurgiões-Dentistas e Acadêmicos, com quase 500 voluntários estarão em três pontos do Distrito Federal - em frente ao Shopping Conjunto Nacional, ao lado da Administração de Ceilândia e Praça do Relógio em Taguatinga - alertando a população sobre a importância da Saúde Bucal, Trauma Dental, Implantes, Ortodontia, Câncer Bucal entre outras.

Os locais também contarão com escovódromos onde a população receberá instruções de como fazer a higiene de forma correta, além de receber um kit completo para higiene bucal.

Um parlamentar que também está preocupado com a saúde bucal da população do Distrito Federal é Evandro Garla. Ele é autor da Lei 18299/14, que dispõe sobre as diretrizes para a promoção de saúde bucal dos alunos da Rede Pública de Ensino do DF.

Garla explicou que a intenção é verificar a higienização bucal de crianças e adolescentes. “Levantamentos comprovam que a cárie é o problema mais comum entre esses dois públicos. Ela é a grande responsável pela dor, desconforto, mau hálito e perda de dentes. A melhor forma de evitar tais complicações é visitar regularmente um dentista e melhorar a higiene bucal”, disse.

Texto: Geysa Albuquerque
Fotos: Jessé Vieira

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Violência contra mulher no DF é assustadora





O tema violência contra as mulheres no Distrito Federal é frequente. De acordo com levantamento do Ministério da Justiça- Disque denúncia, o nosso território figura em primeiro lugar em relação às demais Unidades da Federação.

Nos últimos dias a violência doméstica tem tomado conta da nossa cidade. Nos noticiários são casos de estupros e mortes terríveis que assustam a população e deixam os órgãos competentes em estado de alerta.

A grande maioria dos crimes acabam sem respostas e sem justiça para os familiares das vitimas, assim, os autores dos crimes saem sem nenhuma punição. Precisamos de mais segurança, de mais policiais nas ruas e que cada caso de violência tenha o rigor da Lei Penal.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

O que será de Arruda?




A vida de Arruda na política está indefinida, mas esses últimos dias serão decisivos. A coligação União e Força tem apenas duas semanas para substituir o cabeça ou mantê-lo na campanha. No próximo dia 15 de setembro é o último prazo para que seja realizada qualquer alteração na chapa.

Em Ceilândia, o candidato do PR fez um pronunciamento afirmando que irá lutar até o fim. “Eu vou ganhar essa eleição e vou fazer um governo melhor que o primeiro”, disse.

Se a chapa é cassada até o 1º turno, por exemplo, apenas os outros adversários inscritos concorrem.  Já se a justiça barrar a candidatura, os mais bem classificados além dele vão para disputa.


Caso Arruda seja mesmo vitorioso nessas eleições de 2014 e continue ficha suja, os votos dele serão anulados e uma nova eleição é convocada.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

DEBATE COM CANDIDATOS DO DF




O 1º debate na TV dos candidatos ao Palácio do Buriti foi marcado por duras críticas ao Governo Agnelo. A atual gestão petista foi alvo de acusações por parte dos candidatos participantes do debate.

 Arruda também sofreu fortes ataques do candidato Toninho do PSOL. “Você é ficha suja e dificilmente será eleito e envergonhou os nossos eleitores”, disse Toninho.

O clima esquentou entre os dois. Arruda se defendeu. “Toninho, você não é juiz! É melhor decidir qual é o seu lugar”, rebateu.


As duas horas de debate, mostrou muitas críticas entre candidatos e poucas propostas para a nossa cidade.

Texto: Geysa Albuquerque

terça-feira, 17 de junho de 2014

Você lembra das Vozes das Ruas ano passado? Será que elas foram ouvidas?



Depois de um ano, as promessas feitas pelo governo federal e pelo Congresso para atender o apelo das manifestações, quase não saiu do papel.

Para se ter uma ideia, dos cinco "pactos" apresentados pela presidenta Dilma, apenas o da área da saúde foi colocado efetivamente em prática.

Naquela época, você lembra que o governo prometeu reforma política, adoção de medidas de responsabilidade fiscal,  ações para fortalecer a saúde, a educação e a mobilidade urbana?

Então, o governo viabilizou o programa "Mais Médicos", mas não avançou em mudanças no sistema político.

Enfim, voltamos quase a "estaca zero".

Texto: Geysa Albuquerque

quarta-feira, 11 de junho de 2014

No escuro, eles tomam as decisões



Desde que o deputado André Vargas foi visto em bate papo com o doleiro Alberto Youssef, preso por chefiar um esquema bilionário, denuncias da imprensa dizem as instituições políticas o trataram com intenso rigor.

Vargas era o vice presidente da Câmara e integrante importantíssimo do PT. E ficou "pasmo" quando viu seus companheiros pedirem publicamente sua renúncia. Depois disso, foi expulso do partido, aparentemente abandonado e condenado a encerrar sua carreira política de forma vergonhosa. Afinal, ele foi um político que traiu seus eleitores.

Só que nem tudo que parece ser verdade pode ser realmente. Na Câmara, Vargas continua bajulado por outros deputados de diferentes partidos. Em conversas, é possível ouvir o deputado opinando sobre os assuntos diversos, inclusive sobre aquilo que está passando.

O que podemos concluir é que em público o PT defende uma punição exemplar para Vargas, mas nos bastidores o PT se articula para salvá-lo da cassação.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

A era Joaquim Barbosa


A história de Joaquim Barbosa é mesmo um exemplo de superação. Filho de um pedreiro e uma dona de casa estudou em escola púbica, formou-se numa universidade federal e assumiu importantes cargos depois de ser aprovado em concurso público.
Barbosa não recebeu ajuda de padrinhos influentes e nem favores. Ele preferiu seguir sua vida solitária e trilhar caminhos árduos, o que chamou a atenção de Lula.

O ex-presidente pretendia calar o preconceito em escolher pela primeira vez um negro para a mais alta Corte do Judiciário. O que o petista não imaginava era que iria acertar em muita coisa. Lula escolheu o homem certo, na hora certa para desferir o mais duro golpe contra a corrupção na história recente do país.
O corajoso Joaquim Barbosa bateu de frente com os próprios colegas para garantir acelerar as votações. Chegou a acusa-los de cumplicidade e acabou isolado dentro do Tribunal.
O grande Ministro  saiu de cena e declarando o caso mensalão  como encerrado. O Supremo deu aos brasileiros uma lição de moralidade e intransigência com as roubalheiras, ensinando que lei é lei para todos.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Será que Marina vai se tornar um pesadelo para Eduardo?





Muitos comentam por aí que a escolha de Eduardo Campos em se aliar com a ex-senadora Marina Silva foi um erro.  Tudo porque Campos é um negociador nato e abre espaço para amplos debates. Já Marina tem fama de radical e por este motivo pode destruir a imagem do ex-governador de Pernambuco, de se colocar como o terceiro presidenciável mais votado.

Até entendemos a principio a opção do presidente nacional do PSB, afinal Marina deixou a última eleição marcada com uma votação expressiva e para qualquer chapa seria um ótimo nome.

A ideia é esperar para ver se essa combinação; Marina e Eduardo é realmente perfeita.

Texto e comentário: Geysa Albuquerque

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Dilma X Eleições


A imprensa tem mostrado que na Corrida Presidencial a economia será um dos grandes divisores de águas entre Dilma Rousseff e seus desafiantes: Aécio Neves e Eduardo Campos. A expectativa é que os candidatos confrontem suas visões sobre o papel do governo no funcionamento dos mercados. O mineiro Aécio e o pernambucano Campos vão exibir realizações na administração de seus estados natais. Todos esperam coisas extraordinárias deles.

A presidenta Dilma terá o desafio de defender seus quatro anos em Brasília. E não existe quem possa descrever suas políticas como amigáveis aos mercados. Os eleitores podem até ter dificuldades em tomar suas decisões para quem irá governar o Brasil, mas será fácil perceber o abismo que separa a visão da presidente e de seus competidores.
Comentário: Geysa Albuquerque

Últimas