sexta-feira, 1 de abril de 2016

I Seminário de Combate à grilagem de terras no DF





Na manhã desta terça-feira (29), a administração do Riacho Fundo II esteve participando do I Seminário de Combate à grilagem de terras no DF, que teve o intuito de explicar como os órgãos do GDF estão traçando as suas metas e projetos para declarar guerra contra a apropriação irregular do solo em Brasília.

O governador Rodrigo Rollemberg ressaltou que o seu sonho é sair nas ruas de Brasília e ver a cidade toda pavimentada, urbanizada e com a infraestrutura adequada.  "Do mesmo jeito que fizemos a desobstrução na orla do lago Paranoá, faremos por todo o Distrito Federal. O importante é que todos nós abracemos esta causa  para vencermos este mal. Eu confio muito na capacidade que temos para juntos entregarmos uma cidade melhor às nossas futuras gerações. Portanto, conto com a participação de vocês para extirparmos a grilagem de terras em Brasília", apelou.

O secretário de meio ambiente, André Lima, destacou o comprometimento de segurança histórica e ambiental. "O meio ambiente sofre com a grilagem de terras e esse problema é grave, pois nos traz prejuízo  no desenvolvimento social, ambiental, urbanístico, econômico, desenvolvimento sustentável entre outros", contou.

O presidente da Terracap, Julio Cesar de Azevedo Reis, enfatizou que a grilagem vem da prática antiga de envelhecer documentos forjados para conseguir a posse de determinada área. "Atualmente a grilagem evoluiu  e os grileiros atuam em duas fases: o deslocamento do documento falso para pessoas leigas e a abertura do processo de sobrepartilha. O processo de crescimento da população do DF é  de 8% nos últimos quatro anos. O que representa um incremento populacional de 216 mil pessoas. Há um descompasso entre a demanda e a oferta de moradia na nossa cidade. Atualmente cerca de 900 mil pessoas vivem em áreas irregulares", explicou.

A secretária de Estado da Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar, comentou sobre a situação de risco social associada ao fenômeno de grilagem do DF. "Uma das metas do Programa Pacto Pela Vida é aumentar a confiança nas instituições de segurança pública e melhorar a sua prestação de serviços, diminuir a vulnerabilidade social por meio de políticas de prevenção a violência", ressaltou.

O diretor da Polícia Civil, Eric Seba, discursou sobre a  investigação de crimes relacionados à grilagem de terras no DF " A grilagem é um crime contra o patrimônio público, por isso podemos considerar um grileiro como um traficante, um ladrão de sonhos que entrega a frustração e até a morte para milhares de pessoas. Nós consideramos a grilagem como um dos piores crimes e muitos casos podemos qualificar como lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, crime organizado, homicídios, tráfico de drogas entre outros. E não vamos parar enquanto não colocarmos esses bandidos na cadeia", prometeu.


O Comandante Geral da PMDF, Cel Marcos Antônio Oliveira,  acrescentou que a ocupação irregular do solo causa a criminalidade, pois  a baixa renda e a falta de oportunidades estimula as praticas criminosas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas