quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Entrevista com o Administrador mais jovem de Brasília



1) Como surgiu a oportunidade de ser administrador?

Acredito que pelo meu perfil técnico que foi analisado pelo partido. E sempre estive disposto para fazer o que fosse necessário para o meu partido. E acredito que quando houve oportunidade, eles viram que eu tinha o perfil para a vaga.

2) O peso da responsabilidade de ser um administrador assusta?

Não assusta, mas é difícil porque é uma atribuição muito séria. Sabemos que administrar uma casa já é complicado, imagine uma cidade.



3) Como você se sente em saber que é o administrador mais jovem de Brasília?

Eu me sinto feliz porque demonstra que eu tenho capacidade profissional para exercer o cargo. Acredito que ser tão jovem e já assumir a administração mostra que profissionalmente falando isso mostra que sou habilitado para exercer um cargo de alta complexidade. 

3) Quais são as suas propostas para o Riacho Fundo II?

Fazer uma gestão técnica em áreas deficientes que não tem atenção do Poder Público e são essenciais para o desenvolvimento da cidade. Então a gente quer fazer uma gestão de parceria com a comunidade, ou seja, queremos a participação dos moradores para que possamos atender realmente as demandas sociais existentes. Muitas vezes não ouvindo o que a sociedade quer, não conseguimos atender o que ela realmente precisa. A nossa intenção é fazer uma gestão participativa.

4) Quais serão as prioridades da sua gestão?



Melhorar a infraestrutura da cidade, pois com o aumento populacional os equipamentos existentes devem ser ampliados para a melhoria da qualidade de vida dos atuais moradores e daqueles que estão chegando na cidade.



5) Como jovem, quais serão as suas propostas para atuar junto com a juventude do Riacho Fundo II?

A gente tem a perspectiva de investir na juventude da cidade. Se tivermos um trabalho de desenvolvimento social, cultural, educacional para este público irá favorecemos o futuro da cidade, pois teremos jovens com maior consciência social. Temos propostas para atuar nesses setores com a juventude do Riacho Fundo II



6) Em relação, a população da zona rural (CAUB I, II e Granja Modelo), o que você tem de projetos?

São áreas mais sensíveis e inclusive existe a questão ambiental. A nossa atenção está voltada para essas regiões, pois tem impacto no desenvolvimento econômico da cidade e do DF. E nós temos demandas identificadas e as providencias já estão sendo tomadas. O nosso foco é levar infraestrutura para todas as regiões.



7) Por que você se filiou ao Partido Republicano Brasileiro?

Eu me identifiquei com as filosofias partidárias, acredito que está dentro da minha visão política. E diante de outros partidos, percebi que é um partido que abre espaço para os jovens, pois é um partido que tem a preocupação com as demandas em relação a juventude.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas