quarta-feira, 30 de maio de 2018

Pederneiras lutará por uma saúde pública de qualidade






 Nascida no Rio de Janeiro e mais de 30 anos no Distrito Federal,  a nutricionista  Dra.Adriana Pederneiras é casada, tem dois filhos, é servidora pública da Secretaria de Saúde do DF e professora universitária.   Em entrevista a doutora conta que ama sua profissão , pois envolve questão social, saúde, educação e questões relacionadas a segurança alimentar e nutricional.

Pederneiras conta a experiência de chegado em Brasília. “Trabalhei no Núcleo de Estudos da Fome da UnB, participei da Pré- Constituinte que contribuiu para que em nossa constituições tivesse artigo em que a Saúde é um Direito de Todos e Um Dever do Estado.  Como professora universitária , com curso de mestrado e doutorado na área da saúde, sempre repassei a todos os novos profissionais da áreas de saúde  (farmácia, nutrição, enfermagem, fisioterapia, etc.) a importância da saúde publica de qualidade, o respeito aos usuários e servidores, Além disso, lutando pela valorização da área de nutrição, fui  eleita em 2004,presidente do Conselho Regional de Nutricionistas 1 Região do DF, atuei também, como membro do Conselho de Segurança Alimentar do DF", relembra.

Pederneiras afirma que além da saúde se identifica com várias áreas sociais. "Atualmente estou na Coordenação do PRB Idoso- DF. Infelizmente no Brasil, estamos muito longe da garantia dos direitos a pessoa idosa, mas temos que lutar por isso, pois o país está envelhecendo e precisamos dar qualidade de vida hoje e para as futuras gerações” afirma.


Como pré- candidata a deputada distrital, Adriana relata que a sua prioridade é em defesa da saúde pública do Distrito Federal.  "Estamos passando no país um problema muito grave na saúde pública, ou seja, problema de uma má gestão,   má administração de recursos públicos e vontade politica de investimento na saúde. É inadmissível  ver pessoas morrendo nas filas dos hospitais públicos.  A saúde publica brasileira têm  muitos problemas, mas têm soluções. ”

Reportagem: Geysa Albuquerque





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas